“Diabetes é uma epidemia global”, atesta Andrew Boulton na abertura do Fórum


Dados e pesquisas apresentados durante o primeiro dia do evento comprovam a necessidade de intensificar as ações de prevenção e controle, além de comparar a doença ao “câncer do século XXI”

O I Fórum de Atualização e Inovação em Diabetes foi realizado em Brasília, com sucesso de público. Na tarde de quinta-feira (1º), durante a abertura oficial, a presidente da SBD ressaltou a importância da Sessão Solene realizada pela manhã na Câmara dos Deputados. Hermelinda Pedrosa enfatizou a necessidade da criação de políticas públicas para prevenção do Diabetes.

“O Brasil ocupa, infelizmente, o 4º lugar, entre todos os países, de pessoas com diabetes e deve continuar neste ranking até 2045. Nós somos também o 3º país com o maior número de pessoas com diabetes tipo 1; este é um ranking que nos faz repensar as políticas de saúde. O Novembro Diabetes Azul representa, desde hoje pela manhã, com o grande apoio da deputada Carmem Zanotto e todas as pessoas que estiveram na Câmara, a reinserção do Diabetes no calendário do Ministério da Saúde”, destacou.

A médica lembrou que a data foi reintegrada ao calendário oficial do Governo por meio de uma forte atuação da assessoria parlamentar, inovação da atual gestão da SBD, junto ao Ministério. “O levantamento da Vigitel concluiu que o diabetes cresceu 54% na população masculina, em 11 anos. Por isso, no Novembro Azul, além do câncer de próstata, precisamos estimular a prevenção e o rastreamento do diabetes”.

Epidemia

A aula inaugural foi ministrada pelos médicos Andrew Boulton e Maria Inês Schmidt, que abordaram o diabetes como epidemia global. “Vivemos uma guerra contra esta doença e ainda travaremos muitas batalhas. Mundialmente, mais de cinco milhões de pessoas morrem em decorrência do diabetes e de suas complicações todos os anos. Por isso, temos uma mensagem aos governantes: não podemos mais arcar com os custos do não controle e assistência, precisamos prevenir, educar e tratar esta patologia”, reforçou Boulton.

O médico também ressaltou que um dos principais responsáveis pelo avanço da doença é a chamada “diabesidade”, ou seja, a obesidade como causador do diabetes. “Neste cenário, temos uma vida inteira para prevenção, na juventude ou na fase adulta. Mecanismos como controle do peso, dieta balanceada e prática de exercícios são efetivas”, disse.

Durante a aula o especialista propôs uma reflexão sobre o diabetes ser o câncer do século 21. Segundo ele, sim. Para Andrew há muito que aprender sobre a forma de encarar a doença e intensificar o rastreamento na população de risco, o diagnóstico precoce e os exames preventivos.

“O diabetes é acompanhado de muitos desafios e são esses desafios que serão abordados nos dois próximos dias”, adiantou.

Maria Inês Schmidt discorreu sobre o tratamento da doença no Brasil e citou um levantamento realizado pela SBD, em parceria com o Ministério da Saúde e o CNPQ, que analisou a prevalência de diabetes em pessoas com idade entre 30 e 69 anos. A pesquisa data de 1980 e é, até hoje, uma referência nacional.

“Com mudanças simples no estilo de vida é possível prevenir e mudar esse dado, inclusive com ações como redução do peso e da circunferência abdominal. Cada um de nós pode contribuir para reduzir a incidência da doença”, constatou.

O evento contou ainda com o representante da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), Neuton Dornelas, que comentou sobre o momento de transição que o país vive e disse esperar um fortalecimento das sociedades médicas. O encontro contou ainda com um painel da Astrazeneca, conduzido por Freddy Eliaschewitz, que discorreu sobre “Estudos de desfechos cardiovasculares com inibidores de SGLT2: causas e consequências” para o público presente.

Para celebrar as atividades, no final, a SBD promoveu um “welcome drinks” para o público presente.

O sucesso do primeiro dia foi comemorado pela presidente Hermelinda Pedrosa: “este novo evento da SBD veio para ficar e a gente quer, de fato, dar continuidade para que possamos oferecer aos sócios da SBD mais um momento de congregação, atualização e renovação”.